a

Produção para: Revista Coop

Afinal, o que nos atrai na propaganda gastronômica?

Quando falamos em comida, pensamos em sabor, certo? Lembramos dos nossos pratos favoritos e das sensações que eles nos causam. Recordamos com carinho daquela comida de vó, do restaurante do primeiro encontro, das refeições em família ou até daquele café na padaria da esquina num dia corrido.

Ao visitar outros países, além dos pontos turísticos, uma parada para contemplar a gastronomia local é quase obrigatória para a maioria das pessoas. Afinal, a culinária é uma das partes mais importantes de uma cultura.

O fato é que a comida causa sensações e está diretamente ligada às nossas relações e ao ambiente em que vivemos. O que não nos atentamos muitas vezes é o impacto visual que os alimentos têm – já que, antes de ser saboreado, ele é visto e apreciado. Quantas vezes você já escolheu um prato em vez de outro após olhar sua foto no cardápio? Ou ficou com água na boca ao ver aquela receita no Facebook?

 

Produção para: McCain Brasil

Muito cheddar derretido na foto de um hambúrguer ou um copo trincando de gelado, gota escorrendo, colarinho perfeito, com aquela cerveja tão desejada. Tudo para trazer a tona suas melhores lembranças e provocar sensações. Isso é o que chamamos de Appetite Appeal.

Para transportar esse desejo, do paladar ao visual,  precisamos reforçar o que o prato ou bebida tem de melhor. Montar a lasanha camada por camada, evidenciando todas as nuances entre os molhos e recheios, ressaltar o queijo derretido e sua suculência. Fazer o observador “comer com os olhos”. É uma linha tênue que devemos acertar entre o exagero e a medida certa.

Provocar vontade. Essa é a chave da fotografia culinária e, para fazer isso, é necessário entender que, para a maioria das pessoas, comida é muito mais que apenas uma necessidade. Alimentar-se se torna um ritual que aproxima famílias e amigos e deixa nossos dias mais leves e especiais.

Por Matheus Nascimento